Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Robôs: é bom, mas é ruim

Data: 17/09/2021
Veículo: Innovation Insider

Sabemos que os robôs já estão em muitos lugares que antes eram exclusivamente ocupados por humanos, fazendo tarefas que antes eram tipicamente nossas. Em muitos casos, isso é bem bom. Ainda bem que eles chegaram. Em outras, bem, nem tanto. 

Cito aqui alguns exemplos de cada um dos dois lados dessa invasão, de resto, inevitável.

 

Ainda bem que agora tem robô

Exploração espacial

Claro que seguiremos tendo os astronautas, mas os robôs podem fazer coisas que eles não só não curtiriam fazer, como correriam risco de vida se fizessem, como explorar planetas e ambientes espaciais hostis à vida humana. Além disso, na exploração espacial, o robôs podem ir na frente e preparar o campo para que os humanos cheguem só para suas tarefas fim, de forma bem mais eficiente. É assim que a NASA está planejando sua ida a Marte: robôs primeiro, gente depois.

 

Combate a Incêndios

Uma vez mais, teremos sempre o trabalho memorável dos bombeiros, mas em determinadas situações os robôs podem correr riscos que os humanos, no combate aos incêndios, não precisarão mais correr, diminuindo acidentes e mortes nessa atividade tão essencial e de alto risco.

 

 

Esquadrão anti-bombas

Sem dúvida, aqui mais do que em qualquer outra, contar com a ajuda dos robôs, poupando humanos de irem pelos ares, é uma atividade em que as máquinas são mais que bem vindas.

Que legal que agora tem robôs, mas …

 

Produção industrial

A indústria automobilística saiu na frente há anos no uso de robôs em suas linhas de produção, mas muitas outras estão indo no mesmo caminho. Isso é bom porque aumenta a produtividade e reduz os acidentes de trabalho, mas também rouba empregos de trabalhadores desses setores. Claro exemplo de que é bom, mas é ruim.

 

Entrega de Pizza e outros delivers

Bom, aqui no Brasil, nossos motoqueiros ainda dão de lavada nos robôs de entrega de pizza, até porque aqui não temos robôs entregando pizza. Mas em algum momento esses robôs chegarão por aqui e aí eles, sem dúvida, vão ocupar o lugar de parte da força de entrega humana no setor. Em outras áreas de deliver também.

 

Bartenders

Idem… ainda não temos aqui, mas quando tivermos, vai ser curioso (ou triste?) ver como os robôs substituirão os bartenders preparando drinques.

 

 

No campo

Uma vez mais, a produtividade dos robôs em determinadas atividades do agronegócio é indiscutível, mas também aí eles roubarão empregos humanos de forma inevitável.

O confronto, se podemos chamar assim, de homens com as máquinas tem hoje e terá cada vez mais novos aspectos e novas facetas. Como tudo em tecnologia, tem o bom e o nem tanto assim.

Por isso, quando você for recepcionado pelo sorriso simpático de um robô concierge em um hotel, seja gentil. Mas não abuse.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp