Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Anatel e Siga Antenado instalaram um milhão de parabólicas digitais no brasil

Benefício é disponibilizado gratuitamente para famílias do CadÚnico onde a faixa do 5G foi liberada

A Siga Antenado, entidade sem fins lucrativos criada por determinação da Anatel, atingiu um marco significativo ao alcançar a instalação gratuita de um milhão de kits  de antena parabólica digital em todo o país.

Os equipamentos estão disponíveis para famílias inscritas no CadÚnico residentes em municípios onde a faixa de frequência do 5G já foi liberada. Até agora, isso já ocorreu em 2.024 municípios, onde vivem mais de 70% da população brasileira.

A Entidade Administradora da Faixa de 3,5 GHz (EAF) estima que, até o fim de setembro, o número de antenas digitais distribuídas chegue a 1,1 milhão.

Em coletiva de imprensa realizada na quarta-feira (13), a Anatel também anunciou que mais 212 cidades tiveram o processo de liberação da faixa de 3,5 GHz concluído e receberam autorização para ativação do 5G por parte das operadoras.

Com isso, o estado do Rio de Janeiro fica com 100% de suas cidades liberadas. No total, mais de três milhões de kits foram vendidos pela indústria e um milhão distribuídos pela EAF.

Moisés Moreira, conselheiro da Anatel e presidente do Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi), avalia que o primeiro milhão de equipamentos instalados representa um ganho inestimável na ampliação do acesso à comunicação com qualidade de imagem e som:

“Para muitos brasileiros, a substituição da parabólica representa o acesso a um novo mundo de informação e entretenimento”, pontua o conselheiro da Anatel. “Ao mesmo tempo que conduzimos milhões de famílias a um novo patamar de experiência a ver TV, proporcionamos à população e à indústria o acesso às infinitas oportunidades geradas pela tecnologia 5G.”

O ministro das Comunicações, Juscelino Filho, ressalta que a pasta e a Anatel “trabalham constantemente para que, mesmo com a limpeza da faixa do 5G e com a chegada de novas tecnologias, toda a população, sobretudo os mais pobres, continuem contando com o importante e tradicional acesso à programação da TV aberta”, afirma.

Já o CEO da Siga Antenado, Leandro Guerra, destaca que a meta da entidade é garantir que todos os usuários de parabólica tradicional estejam cientes da transição e substituam seus equipamentos pela nova parabólica digital para evitar a interrupção de seus serviços de televisão.

“Em muitas cidades, a parabólica é a única forma de acesso à informação e entretenimento”, afirma Guerra. “Nossa meta é orientar toda a população sobre o processo de migração para que ninguém corra o risco de ficar sem assistir TV.”

POR QUE TROCAR A PARABÓLICA

Adquirir uma nova parabólica digital é fundamental para garantir o acesso contínuo à televisão após a ativação da tecnologia 5G. Em breve, as parabólicas tradicionais que operam na faixa de 3,5 GHz deixarão de funcionar para que o 5G seja implantado. O modelo antigo sofre com interferência do sinal 5G, já que os dois utilizam a mesma frequência.

A instalação das parabólicas, a desocupação e mitigação das estações profissionais de satélites (FSS) possibilitaram a autorização pelo Gaispi da ativação das redes 5G standalone em 2.024 cidades brasileiras, nas quais vivem cerca de 70% da população do país.

Com informações da Siga Antenado e do MCom

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Notícias

Assessoria de Imprensa

Amanda Salviano

+55 61 3212-4686
+55 61 99112-5734

imprensa@abratel.org.br