Associação Brasileira de Rádio e Televisão

NOVO GINGA: EXPERIÊNCIA PERSONALIZADA E GRATUITA NA TV ABERTA

Uma nova geração tecnológica está chegando na televisão de digital de milhões de domicílios brasileiros. Trata-se do per­fil D do middleware Ginga, que ganhou novos ares com o nome DTV Play, um novo framework do Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (SBTVD-T).

Com o avanço do cenário tecnológico e mercadológico, como televisores conectados à internet e a penetração dos serviços de banda larga e da televisão digital aberta, voltaram à cena o desenvolvimento e a promoção do Ginga. Os desenvolvedores passaram a se dedicar à correção de falhas apontadas, inclusive, por pesquisas brasileiras, e criaram o per­fil D do middleware Ginga.

O principal objetivo do novo Ginga é criar uma experiência inovadora e personalizada de recepção de conteúdos sob demanda, sem sair do ambiente da TV aberta. A inovação será incluída no equipamento de TV, identificado por meio de um logotipo específico que servirá para indicar que o aparelho já possui a nova tecnologia, com acesso a todos os benefícios.

A interatividade, de forma transparente para o telespectador, vai proporcionar experiências únicas como: segmentação e personalização de conteúdo, sincronização com outros dispositivos de “segunda tela”, vídeo sob demanda com suporte streaming adaptativo e oferta de conteúdos com maior qualidade de áudio e vídeo. “Por meio do controle remoto, o consumidor pode consultar a cotação de moeda, informações de tempo, trânsito e saúde. Isso tudo você consegue hoje, através do Ginga, transmitir pelo ar e processar na televisão”, explicou José Marcelo Amaral, presidente do Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital e Terrestre (SBTVD). “O novo Ginga é uma revolução no consumo de conteúdo”, pontuou o especialista.

No Japão e na Europa, a interatividade já faz parte do cotidiano dos telespectadores. Louis Liben, um dos maiores especialistas em televisão digital nos Estados Unidos, deu um panorama sobre as possibilidades da tecnologia. “Você pode comprar uma garrafa d’água que aparece no fundo do cenário, saber informações sobre o artista que está fazendo um show ou, até mesmo, descobrir a qual altura e distância a bola chegou ao momento em que foi chutada para o gol”, explicou Liben.

No Brasil, esses novos recursos encontram-se em testes por emissoras de televisão e vem apontando resultados muito promissores que foram apresentados nos últimos meses. A expectativa, é que até 2023 entre 90% e 100% dos televisores fabricados no Brasil já tenham essa nova tecnologia.

 

O engenheiro da Abratel, Wender Souza, esclareceu os principais pontos sobre o novo ginga.

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp