Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Record TV é finalista do Prêmio CNT com quatro reportagens

Data: 01/10/2021
Veículo: R7

Dois documentários do Câmera Record e dois do Repórter Record Investigação estão concorrendo à premiação

O jornalismo da Record TV é, mais uma vez, finalista de uma importante premiação. Entre as cinco reportagens finalistas do prêmio da CNT (Confederação Nacional dos Transportes), quatro são da emissora: dois documentários do Câmera Record e dois do Repórter Record Investigação.

O prêmio, que está na 28ª edição, tem como objetivo incentivar e prestigiar materiais que exploram o transporte e a rotina dos trabalhadores desse setor. As reportagens concorrem ainda com uma produção da CNN Brasil.

Do Câmera Record, concorrem Embarcações Clandestinas, sobre os riscos do transporte ilegal na Amazônia, e Transamazônica – A Estrada Sem Fim – 50 Anos, que reuniu histórias sobre a estrada que começou a ser construída durante a década de 1970 e até hoje não foi concluída.

Já as produções do Repórter Record Investigação escolhidas foram o Dossiê Carajás, que relatou como a Estrada de Ferro Carajás prejudica a vida das pessoas da região e a acusação de uma fraude de mais de R$ 60 milhões, e Ônibus Clandestino, que apresentou as dificuldades que as pessoas enfrentam no transporte clandestino.

Sobre Embarcações Clandestinas

Os repórteres Rogério Guimarães, Daniel Mota e Michel Mendes viajaram mais de 500 km, durante 17 dias, pelos rios Amazonas e Xingu. Eles enfrentaram tempestades e ameaças para mostrar como as embarcações irregulares põem em perigo a vida de milhões de pessoas que dependem do transporte fluvial na região. A edição é de Aline Bertoli e Rodrigo Favero.

Sobre Transamazônica – A Estrada Sem Fim – 50 Anos

O programa percorreu 2.000 km da estrada, a maior parte trechos de terra. Foi uma jornada de 30 dias, superando desafios e imprevistos. Em 2020, a rodovia completou 50 anos da sua inauguração, que ocorreu no dia 8 de outubro de 1970.

Sobre Dossiê Carajás

Para mostrar como o vaivém dos trens afeta quem vive às margens da Estrada de Ferro Carajás, Adriana Araújo e os jornalistas Gustavo Costa, Laura Ferla e Mariana Ferrari conversaram com dezenas de famílias que moram ao longo da linha férrea, que corta os estados do Pará e Maranhão. Elas relatam excesso de barulho da ferrovia durante a madrugada, casas ameaçadas por rachaduras, problemas de saúde causados pela poluição do pó de ferro transportado e ainda esquemas de corrupção nas cidades cortadas pela linha.

Sobre Ônibus Clandestino

Repórter Record Investigação revelou como milhares de pessoas viajam pelo país em ônibus sem condições mínimas de segurança. A equipe ainda mostra os principais destinos das empresas irregulares e aponta a cidade onde todo mundo tem um parente ou conhece alguém que morreu em uma viagem ilegal.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp