Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Registro de obras publicitárias tem queda em 2020

De acordo com Ancine, no ano passado, número foi 14% menor que o de 2019

 

Houve uma queda no volume total de registro de obras publicitárias no ano passado. De acordo com a Ancine, em 2020, o número foi de 38.281 títulos registrados, 14% menos em relação a 2019, quando foram 44.495 títulos registrados.

O levantamento mostrou ainda que os estados do sul e sudeste mantiveram os maiores números de registros, com São Paulo em primeiro lugar (32%), seguido por Paraná (12%), Santa Catarina (9%), Minas Gerais (7%), Rio Grande do Sul (7%) e Rio de Janeiro (5%). O número de registros em São Paulo e no Rio de Janeiro voltaram para ao patamar de índices apresentados em 2018.

Com relação às modalidades de registro de obras publicitárias, observa-se uma manutenção do volume de registros de obras estrangeiras, ou seja, mantiveram-se no mesmo patamar em comparação a 2019. Já com relação às obras brasileiras filmadas no Brasil, os dados apresentaram uma queda de 15% em relação a 2019, o que novamente aponta para uma retração do Mercado em 2020.

MAPEAMENTO
Com o objetivo de complementar a análise dos dados da Ancine, a Apro (Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais) realizou, entre os meses de janeiro e fevereiro de 2021, um mapeamento do mercado. Participaram da pesquisa 49 produtoras associadas e representantes do time de produção das agências.

O estudo revelou que 99% sentiram algum impacto refletido na redução de orçamentos devido à pandemia. Destas, 56% afirmaram ter tido projetos cancelados em função da pandemia e o dado mais triste dessa pesquisa revela que 50% das produtoras tiveram que reduzir o número de funcionários fixos de suas equipes. No entanto, mesmo diante de todas as adversidades, para 77% das produtoras a expectativa é positiva em relação a 2021.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp