Search
Search

Google e Microsoft não comparecem na Câmara e audiência é cancelada

Google e Microsoft não comparecem na Câmara e audiência é cancelada

Compartilhe:
There is nothing to show here!
Slider with alias none not found.

Deputados se irritaram com ausência de presidentes das empresas Google e Microsoft em audiência pública da Câmara. Fábio Coelho, da Google, e Michel Levy, da Microsoft, foram convidados para audiência pública da Comissão de Defesa do Consumidor, a fim de esclarecer, nesta quarta-feira 17 de julho, sobre problemas recentes ligados à política de privacidade das empresas, às ferramentas de busca e, sobretudo, às denúncias de espionagem de dados telefônicos e de e-mail de brasileiros feita pelos Estados Unidos.

O requerimento de audiência partiu do próprio presidente da comissão, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), e foi comunicado às duas empresas no dia 10. A secretaria da comissão, no entanto, foi informada de que a direção da Microsoft estaria passando por um momento de transição, enquanto que o presidente da Google teria entrado em férias. A audiência desta quarta foi cancelada, mas Araújo garantiu que a Câmara não vai desistir de apurar as denúncias.

“É muita coincidência essas férias do presidente do Google. O Google que não respeita as instituições brasileiras e temos que tomar uma providência em relação à essa empresa, já que há denúncias de que eles estão espionando os dados do povo brasileiro”, afirmou. Ele defendeu que a versão da empresa deve ser ouvida e a situação requer uma decisão rápida. “Talvez vamos ter que transformar isso em uma CPI para apurar o caso, porque é uma coisa muito grave”, afirmou Araújo.

O Senado já aprovou uma CPI para investigar as recentes denúncias de espionagem norte-americana. Ainda assim, o deputado José Carlos Araújo defende que a Câmara faça o mesmo ou que busque uma investigação conjunta com os senadores, por meio de uma CPI mista.
Irregularidades

Os deputados Reguffe (PDT-DF) e Júlio Delgado (PSB-MG) relataram várias irregularidades das empresas de internet diretamente ligadas a abusos relacionados ao Código de Defesa do Consumidor (CDC – Lei 8.078/90) e, por isso, insistem na realização da audiência pública em outra data. Delgado, por exemplo, manifestou a insatisfação de internautas e dos sites de compra nacionais diante de inseguranças que persistem nas compras eletrônicas e da prática da Google de expor anúncios publicitários misturados com os resultados de pesquisas.

“A Google poderia nos explicar a respeito disso porque ela sabe, muito bem, como pode ser feita essa clonagem. Esses sites, que são nacionais – de gente que paga imposto, emprega e trabalha corretamente aqui – denunciaram que, em outros países onde a Google fez essa indução, 90% das vendas pela internet já são de produtos da Google”, afirmou. Na avaliação da Delgado, a ação da Google impede que o consumidor chegue ao site de compra nacional. “Nós levamos essa denúncia e a levamos ao Cade, que fez a intervenção no sentido de cobrar da Google um maior controle’.
Na audiência pública marcada para esta quarta-feira também seriam ouvidos representantes da Secretaria Nacional do Consumidor e do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Reportagem – José Carlos Oliveira
Edição – Rachel Librelon

Agencia Câmara Noticias

COMPARTILHE:
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
E-mail
Imprimir
TÓPICOS:
Mais Lidas
Tribunais e Ministérios Públicos de Contas manifestam apoio à aprovação do PL das Fake News
STF adia para junho julgamento das ações sobre regulação de big techs
Nova diretoria da AESP foi eleita por aclamação
Rádio se mantém forte como meio de mídia, aponta pesquisa
The New York Times vai receber US$ 100 milhões do Google durante três anos
Informe Abratel

Abratel - Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Atuamos na defesa da radiodifusão no Brasil e trabalhamos para a valorização e promoção do serviço de comunicação mais democrático do país.

Notícias Relacionadas