Search
Search

Operadora de telefonia tem multa mantida por cortar internet em plano “ilimitado”

Operadora de telefonia tem multa mantida por cortar internet em plano “ilimitado”

Compartilhe:
There is nothing to show here!
Slider with alias none not found.

Data: 26/04/2022
Veículo: MCom

Ministério da Justiça e Segurança Pública multou empresa por alterar planos e não divulgar aos clientes. Operadora tentou recorrer, mas pedido foi negado

Brasília, 25/04/2022 (MJSP) – A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) negou recurso e manteve a multa à operadora Claro S.A por cortar a internet dos clientes. Em publicação no Diário Oficial da União desta segunda-feira (25), o órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) confirmou a decisão que considerou que faltou transparência da empresa ao não divulgar as alterações nas regras de planos telefônicos. A multa, no entanto, foi reduzida de R$ 800 mil para R$ 600 mil. O valor deve ser pago em até 30 dias.

O processo foi aberto em 2015, quando as empresas de telecomunicação costumavam anunciar planos “ilimitados”. No caso da Claro, não apenas era reduzida a velocidade de acesso à Internet quando atingido o limite da franquia de dados, mas também interrompido totalmente o uso. Em julho de 2020, saiu a primeira decisão que multou a operadora em R$ 800 mil.

A Claro recorreu, porém a Senacon entendeu que a operadora obteve vantagens com ofertas e publicidades sem assegurar o direito dos consumidores às informações adequadas. A multa agora foi reduzida em R$ 200 mil, levando em consideração o artigo 25 do Decreto nº 2181/1997, que garante a redução para empresas que aderem à plataforma Consumidor.gov.br. Os valores devem ser depositados no Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD). 

Confira a publicação no Diário Oficial da União aqui.

Retorno à sociedade 

O Fundo de Defesa de Direitos Difusos, administrado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, é formado por recursos de multas e de condenações judiciais. Os valores são empregados em projetos que previnam ou recomponham danos ao meio ambiente, ao patrimônio histórico e artístico, ao consumidor e a outros interesses difusos, os considerados individuais ou coletivos. A seleção dos projetos é realizada periodicamente por meio de editais de seleção. 

COMPARTILHE:
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
E-mail
Imprimir
TÓPICOS:
Mais Lidas
Tribunais e Ministérios Públicos de Contas manifestam apoio à aprovação do PL das Fake News
STF adia para junho julgamento das ações sobre regulação de big techs
Nova diretoria da AESP foi eleita por aclamação
Rádio se mantém forte como meio de mídia, aponta pesquisa
The New York Times vai receber US$ 100 milhões do Google durante três anos
Informe Abratel

Abratel - Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Atuamos na defesa da radiodifusão no Brasil e trabalhamos para a valorização e promoção do serviço de comunicação mais democrático do país.

Notícias Relacionadas