Search
Search

Streaming representa 21% do consumo de vídeo do brasileiro, diz Kantar

Streaming representa 21% do consumo de vídeo do brasileiro, diz Kantar

Compartilhe:
There is nothing to show here!
Slider with alias none not found.

Data: 19/05/2022
Veículo: Tele Síntese

TV linear segue dominante, responsável por 79% do tempo diante da TV, aponta estudo da Kantar Ibope Media

A TV linear é responsável por 79% do tempo de consumo de vídeo dentro de casa, diz estudo da Kantar Ibope Media. Os serviços de streaming ficam com os outros 21%.

Os dados são do painel 2.0, tecnologia de medição de audiência que une dados do Focal Meter (FM) instalado no roteador dos domicílios medindo o tráfego de Internet, e do peoplemeter DIB 6, que identifica a audiência de canais de TV. Ao combinar as plataformas, a Kantar tem o perfil completo dos espectadores de vídeo no Brasil.

A pesquisa mostra que, em 2021, 205.876.165 pessoas assistiram aos canais de TV aberta e PayTV. O tempo médio diário gasto em frente à telinha ficou em 5h37min.

Segundo a Kantar, esse sucesso se deve à ampla oferta de conteúdo, além da credibilidade. Tanto que o espectador dedica 25% de todo o tempo dedicado à televisão ao jornalismo. No segundo lugar do ranking de preferências na TV estão as novelas (18% do tempo). Programas de auditório (9% do tempo) e reality shows (4% do tempo) vêm na sequência.

Já as plataformas online têm ganhado espaço no Brasil no que se refere ao consumo de vídeo e, nesse contexto, dois modelos se destacam, segundo dados do Video Streaming Report, nova solução da Kantar. As empresas gratuitas e financiadas por publicidade (AVOD) atingem 58% das pessoas por mês, enquanto os serviços financiados por assinaturas dos usuários (SVOD) contemplam 42% das pessoas mensalmente.

Preço e catálogo amplo de novos filmes e séries são as principais razões que levam as pessoas que acessam vídeo por streaming a assinarem esse tipo de serviço, diz a Kantar.  Cada um desses itens tem 47% de relevância. Em seguida, aparece a experiência de uso (30%).

Pesquisa da Kantar feita no final do ano passado indica que mulheres consomem mais vídeos online que homens.

IMPACTO

O alto consumo de vídeo da população em casa chama a atenção do mercado publicitário, que tem investido nesse tipo de conteúdo. Em 2021, 63% de todo o investimento publicitário foi feito em formatos de vídeo.

Destaca-se a popularidade dos reality shows, que apresentam altos índices de audiência e se transformaram em um grande playground para marcas. Entre 2019 e 2021, os dados apontam crescimento de 20% no volume de ações de branded content nesse tipo de atração, além de 128% no top 5 de programas.

COMPARTILHE:
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
E-mail
Imprimir
TÓPICOS:
Mais Lidas
Tribunais e Ministérios Públicos de Contas manifestam apoio à aprovação do PL das Fake News
STF adia para junho julgamento das ações sobre regulação de big techs
Nova diretoria da AESP foi eleita por aclamação
Rádio se mantém forte como meio de mídia, aponta pesquisa
The New York Times vai receber US$ 100 milhões do Google durante três anos
Informe Abratel

Abratel - Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Atuamos na defesa da radiodifusão no Brasil e trabalhamos para a valorização e promoção do serviço de comunicação mais democrático do país.

Notícias Relacionadas