Search
Search

TV linear lidera preferência de consumo de vídeos

TV linear lidera preferência de consumo de vídeos

Compartilhe:
There is nothing to show here!
Slider with alias none not found.

Data: 19/05/2022
Veículo: Meio e Mensagem

Pesquisa da Kantar detalha o consumo de vídeos dentro de casa e revela o uso da publicidade no formato

O estudo Inside Video 2022, produzido pela Kantar, revelou que no consumo de vídeo dentro de casa, a grande tela é a favorita, a qual as pessoas passam 92% do tempo de consumo. Os dados ainda mostram que dentro disso, as emissoras de TV linear são responsáveis por 79% do tempo, enquanto os serviços de streaming representam 21%. 

Com variadas possibilidades de consumo, o número de pessoas que possuem uma SmarTV mais que dobrou nos últimos cinco anos, de 27% em 2017 para 57% em 2021. O alcance dos canais de TV aberta e PayTV ainda é grande, com uma audiência em 2021 de 205 milhões e tempo médio diário gasto em frente a tela de 5h37min.  

Dentro do formato, 25% do tempo dedicado à televisão é assistindo a jornalismo, seguido pelo consumo de novelas com 18% do tempo, programas de auditório com 9% e reality shows com 4%. Segundo a Kantar, os pontos indicam que o consumo se deu por conta de uma programação ampla e variada, além da credibilidade.  

Investimento publicitário  

O estudou revelou que 63% de todo investimento publicitário em 2021 foi realizado em formatos de vídeo. Entre as Top 10 marcas mais valiosas (Brand Z), a porcentagem dos investimento em vídeo sobe para 70% e nas Top 10 marcas de bens de consumo mais escolhidas (Brand Footprint) para 88%.  

Entre as principais categorias de anunciantes estão serviços consumidor (diversos), vitrines virtuais, telefonia e conectividade residencial, institucional mercado financeiro, multicategorias, grandes lojas, construção e incorporação, mídia online, supermercados, hipermercados e atacadista e ensino escolar e universitário.  

Reality show 

A popularidade do reality show também foi um dos pontos destacados. Entre 2019 e 2021, o crescimento no volume de ações de branded content nesse tipo de programação foi de 20%, o aumento foi de 128% nos Top 5 programas. Na TV aberta, apenas 1% da programação é composta o gênero, porém, ele representa 4% do tempo que as pessoas dedicam a canais de emissoras abertas, o que resulta num índice de intensidade de consumo de 366. 

Detalhes do streaming 

O estudo também mostrou que os serviços de vídeo por assinatura alcançam cerca de 42% das pessoas em um mês dentro do domicílio, além de um aumento do investimento publicitário em players de streaming de vídeo de 243% em 2021 quando em comparação a 2019.

Como o motivo que leva os usuários a pagar por um serviço de streaming, o preço do fornecedor (47%) e um amplo catálogo de novos filmes e séries (47%) apareceram em primeiro lugar, seguido por o site/aplicativo funcionar bem em todos os dispositivos (30%), um amplo catálogo de filmes e séries antigas (25%) e facilidade de navegar/encontrar os programas que gosta no site/aplicativo (22%).

COMPARTILHE:
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
E-mail
Imprimir
TÓPICOS:
Mais Lidas
Tribunais e Ministérios Públicos de Contas manifestam apoio à aprovação do PL das Fake News
STF adia para junho julgamento das ações sobre regulação de big techs
Nova diretoria da AESP foi eleita por aclamação
Rádio se mantém forte como meio de mídia, aponta pesquisa
The New York Times vai receber US$ 100 milhões do Google durante três anos
Informe Abratel

Abratel - Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Atuamos na defesa da radiodifusão no Brasil e trabalhamos para a valorização e promoção do serviço de comunicação mais democrático do país.

Notícias Relacionadas