Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Rádio é consumido por 83% da população no Brasil; 58% ouvem em maior, ou na mesma quantidade, diz Inside Radio 2022

Data: 21/9/2022
Veículo: Tudo Rádio

Avanço do alcance do rádio é de 3% em relação ao ano anterior. 7,4 milhões de pessoas ouvem o meio via web

Em atualização – Em comemoração ao centenário do rádio no Brasil e ao Dia Nacional do Rádio (25), a Kantar IBOPE Media lançou seu estudo anual sobre o consumo de rádio no país, chamado de Inside Radio 2022. O levantamento indicou que o rádio é ouvido por 83% da população brasileira, considerando as 13 regiões pesquisadas regularmente pela empresa. Três a cada 5 ouvintes escutam rádio todos os dias. 58% estão ouvindo o meio em maior, ou na mesma quantidade nos últimos 6 meses. Cada ouvinte passa 3h58 minutos ouvindo rádio por dia. E 7,4 milhões de pessoas ouvem o meio via web, sendo um avanço de 85% em relação à 2019, com um consumo médio de 2h45 min.

Hoje com 83% de pessoas que ouvem rádio no Brasil, é possível afirmar que o meio segue em alta no seu consumo no país, seja no dial e também por plataformas digitais. Para efeitos comparativos, o alcance do rádio nas 13 regiões brasileiras pesquisadas pela Kantar IBOPE Media ficou em 80% no Inside Radio 2021 e 78% no Inside Radio 2020. Os dados do estudo de 2022 são relativos ao mês de agosto e foram apresentados hoje (21) por Giovana Alcantara, diretora de Desenvolvimento de Negócios Regionais da Kantar IBOPE Media

Segundo o Inside Radio 2022, o perfil do ouvinte de rádio é muito similar ao da população brasileira, ou seja, isso mostra como o rádio está inserido em praticamente todos os grupos sociais e etários do país. Desse público, 63% declaram que ouvem o rádio em casa, 30% no carro, 12% em outros locais, 9% no trajeto e 3% no trabalho. Com a retomada e a reabertura social, a parcela de audiência fora de casa foi ampliada em relação a 2021.

O Inside Radio 2022 também destaca que o rádio está “evoluindo em todas as formas”, com 80% dos ouvintes informando que ouvem o rádio pelo receptor comum (também inclui o rádio do carro), 26% no celular (era 25% em 2021), 4% em outros equipamentos e 3% no computador. Usar uma forma para escutar o rádio não exclui a outra, ou seja, a audiência pode utilizar mais de uma forma para acompanhar o meio durante a sua jornada diária.

Em resumo, nas 13 regiões brasileiras pesquisadas pela Kantar IBOPE Media, os números do consumo do rádio foram os seguintes (alcance total e tempo médio de escuta em horas, minutos e segundos, alcance 30 dias, tempo médio, abril a junho de 2022):

90% – Grande Belo Horizonte – 03:55:44 – maior alcance entre as 13 regiões pesquisadas
86% – Grande Porto Alegre – 04:05:07
85% – Grande Fortaleza – 03:55:20
85% – Grande Florianópolis – 03:29:20
84% – Grande Curitiba – 03:38:09
83% – Grande Rio de Janeiro – 04:32:47 – maior tempo médio entre as 13 regiões
82% – Grande Goiânia – 03:49:46
82% – Grande Vitória – 03:49:00
82% – Distrito Federal – 03:13:51
81% – Grande São Paulo – 03:52:26
79% – Grande Salvador – 03:54:42
78% – Grande Recife – 04:09:23
77% – Campinas – 03:18:22


Ilustração do consumo de rádio por região pesquisada / Inside Radio 2022 – Kantar IBOPE Media


Perfil do público que ouve rádio no Brasil / Inside Radio 2022 – Kantar IBOPE Media

Panorama: São Paulo volta a registrar a marca de 19 FMs acima de 1 milhão de ouvintes únicos alcançados

Credibilidade em alta, motivos para se ouvir rádio e os fãs de futebol

O rádio segue amplamente confiável para a população brasileira, segundo o Inside Radio 2022. O levantamento aponta que 56% dos ouvintes de rádio confiam no meio para se manterem informados. E a credibilidade está em alta: cerca de 20% é o crescimento que esse valor representa, entre 2017 e 2022.

Também segundo o estudo, 49% afirmam que consomem rádio para ouvir música, 43% para companhia e 31% pelo fato do meio trazer notícias de forma rápida. Esse seria o “top 3 motivos” para se ouvir rádio no Brasil.

Outro dado interessante do Inside Radio é o fato de que, entre os fãs de futebol, 40% deles ouvem esporte no rádio.

Rádio: Evolução no digital. O celular avança

O Inside Radio 2022 também destaca um forte crescimento do consumo de rádio via internet, sejam em iniciativas via streaming de áudio ao vivo, vídeo e mídia on-demand. Segundo o levantamento, 7,4 milhões de pessoas das 13 regiões pesquisadas afirmam que ouvira rádio via web nos últimos 30 dias. E o tempo médio de consumo é de 2h45min. No total, há um avanço de 85% no consumo de rádio web entre os anos de 2019 e 2022. E o consumo de rádio via internet é complementar ao dial, segundo o levantamento.

Entre os ouvintes de rádio, 29% consideram que ter a possibilidade de escutar online mudou a forma que consomem o meio, segundo o Inside Radio 2022.


Faixas de consumo do rádio via dial e via web, dados que apontam um consumo complementar / Inside Radio 2022 – Kantar IBOPE Media

E entre os ouvintes web, o estudo indica “grande destaque para homens, da classe AB, entre 20 e 49 anos”, como a maior parcela de consumo de rádio web. “Um público conectado e em constante evolução”, indica a apresentação do Inside Radio.

Do consumo de rádio via web, 70% ouviram pelo celular (em 2021 esse valor era de 66%), 30% pelo computador e 9% em outros equipamentos. O uso dos dispositivos podem ocorrer de formas complementares. E, em resumo, 7 em cada 10 ouvintes de rádio web usam o celular para ouvir o meio.

E novos dispositivos estão surgindo, segundo o Inside Radio 2022: 7% dos ouvintes de rádio web afirmam usar a televisão para consumir rádio web e 6% usam smart speakers (caixas de som com inteligência artificial, como Amazon Alexa, Google Nest, entre outras).

O estudo também aponta que, entre os ouvintes de rádio, aqueles que consomem o meio via web, 12% apenas em áudio e 12% em áudio e imagem. Dessas duas parcelas, 20% consumiram o meio no YouTube.

Entre os ouvintes de rádio, 42% deles ouvem streaming de música, segundo o Inside Radio 2022, apontando um consumo complementar ao meio, com tempo médio de 2h40 por dia.

Já sobre podcasts, 40% dos ouvintes já ouviram algum conteúdo nesse formato nos últimos 3 meses, sendo um avanço de 30% em relação a 2021.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp