Search
Search

Ministro afirma que processo de TAC está blindado de tráfico de influências

Ministro afirma que processo de TAC está blindado de tráfico de influências

Compartilhe:
There is nothing to show here!
Slider with alias none not found.

Paulo Bernardo pediu para Anatel rever as regras do Termo de Ajustamento de Conduta, após denúncia de lobby a favor da Oi
O ministro das Comunicações Paulo Bernardo afirmou nesta quarta-feira (27) que pediu ao presidente da Anatel, João Rezende, para rever o regulamento que instituirá o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), para garantir que esteja “blindado a qualquer tentativa de tráfico de influências”. “Estamos revendo as regras para que o TAC seja avaliado por um comitê e não por apenas uma pessoa”, declarou o chefe da pasta após participar de evento promovido pela Federação Nacional das Associações dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (FENADVB), em São Paulo.

Segundo Bernardo, o Ministério Público e o Tribunal de Contas da União veem acompanhando o processo de criação do regulamento do TAC, que já passou por consulta pública e deve ser aprovado pela agência reguladora em setembro. “Pedi para o Rezende verificar se o processo vai se dar de forma transparente, claro e com as devidas regras de controle”. O ministro fez questão de lembrar que caso a empresa não cumpra do termo de ajustamento de conduta, que possibilita que o valor das multas aplicadas pela Anatel sejam trocadas por investimento, o processo se encerra e a multa é aplicada em sua totalidade.

No último final de semana, a revista Veja publicou reportagem afirmando que o deputado Vicente Cândido (PT/SP) teria procurado o conselheiro Marcelo Bechara, da Anatel, para fazer lobby para a operadora Oi, perguntando inclusive “seus honorários”, o que foi rechaçado por Bechara segundo a própria revista. A Oi respondeu, em nota, que “a relação da empresa com a Anatel é pautada pela formalidade e transparência e segue estritamente a regulamentação do setor. O acompanhamento da evolução dos temas regulatórios é feito exclusivamente por funcionários técnicos da companhia junto às diversas áreas da Anatel, de acordo com normas e regimentos do órgão regulador, inclusive sob a supervisão da Advocacia Geral da União”.

Na avaliação do ministro, o TAC é positivo porque faz com que, em primeiro lugar, as operadoras admitam as multas, em vez de seguirem protestando na justiça, em processos que levam anos.

Fonte: Telesíntese

COMPARTILHE:
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
E-mail
Imprimir
TÓPICOS:
Mais Lidas
Tribunais e Ministérios Públicos de Contas manifestam apoio à aprovação do PL das Fake News
STF adia para junho julgamento das ações sobre regulação de big techs
Nova diretoria da AESP foi eleita por aclamação
Rádio se mantém forte como meio de mídia, aponta pesquisa
The New York Times vai receber US$ 100 milhões do Google durante três anos
Informe Abratel

Abratel - Associação Brasileira de Rádio e Televisão

Atuamos na defesa da radiodifusão no Brasil e trabalhamos para a valorização e promoção do serviço de comunicação mais democrático do país.

Notícias Relacionadas