Abratel participa do seminário “Política, Democracia e Justiça”

Na terça-feira (26), a Abratel acompanhou o seminário “Política, Democracia e Justiça”. O evento ocorreu na Câmara dos Deputados e contou com a presença de representantes dos três poderes, entre eles o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Luís Felipe Salomão e outras autoridades.

Vice-presidente da Câmara e organizador do evento, Marcos Pereira participou da solenidade de abertura e iniciou sua fala com um desabafo contra as “sugestões autoritárias” protagonizadas recentemente por um parlamentar. Ele argumentou que o Brasil já passou dos 30 anos após a redemocratização e que o País precisa se comportar como quem chega à vida adulta. “Qualquer pessoa aos 30 anos de idade já não pode mais se deixar levar pelas inconsequências da adolescência e da juventude”.

O deputado apontou, ainda, que os ataques às instituições representam o exato oposto do que prescreve o conservadorismo clássico. “A preservação e o fortalecimento das instituições são a base do conservadorismo”, disse Marcos Pereira ao falar do seu partido, o Republicanos, que lançou recentemente um novo manifesto com “compromisso programático de sempre defender a democracia, o republicanismo, as instituições, a liberdade de expressão e reagir com força a qualquer tentativa de vilipendiar a Constituição”.

Maia falou em seguida e opinou que “o AI-5 não pode virar “bom dia””, e que, para isso, é preciso encontrar instrumentos para fortalecer as instituições, para o que o Legislativo tem papel decisivo. “A revolução tecnológica, as mudanças que o mundo vive, vêm contestando a democracia liberal. Os radicais e autoritários não são nem de direita nem de esquerda, autoritários são antissistema”, avaliou o presidente da Câmara. Nesse contexto, parece que extremos da política “estão se preparando mais para uma briga campal do que para uma disputa eleitoral”.

O evento contou também com a participação do jornalista Fernando Rodrigues (Poder 360 e Drive), dos deputados federais Lafayete de Andrada (Republicanos-MG) e Fábio Trad (PSD-MS), do senador Eduardo Gomes (MDB-TO), do advogado e ex-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinícius Furtado Coelho, do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Nefi Cordeiro, e do jurista Lenio Streck.